Contos do hospital



Bolamos o seguinte plano: a médica viria fazer a consulta do dia ali pelas dez horas da manhã. O banho já tinha rolado logo depois das nove. Cheirosa, de pijaminha trocado e louca para voltar para casa, minha serelepe mamãe e eu precisávamos convencer a doutora Simpatia de que mummy já estava tinindo de nova, pronta para ser liberada. Portanto, nada de cama. Minha paciente sentou-se na cadeira, armou um sorriso e esperou a loira. Ela veio.

Dra. Simpatia: - Bom dia, como estamos hoje?
Eu e mamãe: - Tudo ótimo!! Pronta para ir para casa! (sorriso largo, estático`-------> :-D)
Dra. Simpatia: - Haha, que gracinha, vamos examinar...
Eu e mamãe: ----> :-D
(Exame)
Dra. Simpatia: - Nossa, melhorou muito, esse sorriso não é à toa. Os índices bla bla bla bla (papo em mediquês) estão excelentes. MAS precisamos ainda reverter o índice de bla bla bla que ainda está bastante alterado.
Eu e mamãe: - :-/
Dra. Simpatia: - Vamos diminuir a medicação e aguardar até amanhã. SE eu achar que está tudo certo, amanhã vocês serão liberadas.
Eu e mamãe: - :-D
Todas: - Tchau, até amanhã! (eu: dancinha)
...
Mamãe: - Eu vou embora amanhã de qualquer jeito.
Eu: - Baixa a bola, assanhada. (Não, não falei assim, mas baixei a bola da assanhada.)

***

A comida do hospital, sem surpresas, é uma mistura de isopor com sabão. Sugiro o suco sujo, a torta quebra-garfo e a carne chiclete. Tudo com gostinho insubstituível de sabão. Entendem a encenação aí em cima?

***

Prova irrefutável da melhora sensível de mamãe (dancinha, dancinha, dancinha) é a patrulha a mil pelo Brasil:

- Filha, coloque o celular ali, é melhor.
- Filha, não use o celular quando ele estiver carregando.
- Filha, você vai almoçar de carona com Fulano e volta depois com Beltrano.
- Filha, desliga a luz.
- Filha, liga a luz (um minuto depois, a mesma luz).
- Filha, meu relógio.
- Abra a janela, filha. Feche a porta. Feche a cortina, abra a porta, tire o lençol, não, assim não, tá muito claro, muito escuro, não consigo ver, que som alto, baixe um pouco, não estou ouvindo, aumente um pouquinho, ligue logo para o seu tio, atenda, é seu irmão, olha o fio, cuidado com a tomada... ad infinitum.

:-)

***

Minha mãe, magrinha, hoje lamenta:

- Ai, pensar que já fui Rainha da Festa da Padroeira...

Quer dizer, hoje ela se preocupou com isso. Né?

Então, amanhã pode ser que role uma volta pra casa. Pode ser que não, talvez só na quarta. Mas vamos caprichar na encenação. Estou pensando em esperarmos a médica em pé, na porta do quarto. Eu posso me posicionar estrategicamente por trás da minha mãe e dar o apoio necessário: "Se ficar tonta, mãe, sorria e, aconteça o que acontecer, não desmaie". Né? Sensato, eu acho.

:-D

  

14 comentários:

Juliana disse...

ei, rita! amei os contos do hospital! minha vó está internada tb e tenho várias historinhas.

deu até vontade de contar as minhas tb, pra dar uma aliviada na tensão.

ri demais da encenação da sua mãe!!

Estou aqui torcendo por ela.

um beijo

Angela disse...

Menina bolei de rir. Tao bom saber que ela esta melhor, espero que amanha esteja ainda mais, e preferivelmente melhor ate do que estava antes da piora. Um beijao e a torcida aqui nao vai parar.

Claudia Serey Guerrero disse...

hihihi adorei Rita! da para sentir que sua mãe e vc estao bem melhor.... adorei os sinais de melhora que vc descreveu hihihi é assim mesmo.. tão bom, saudades da minha mãe com suas coisinhas no fim da noite antes de deitar hihih da umas 1000 voltas pela casa, pergunta umas 10 x se a porta esta bem fechada, verifica, me diz umas 10 x para ir dormir hihihii... beijinhos e melhoras e melhoras..e preparem bem a encenação de amanha ;) Claudia

Tina Lopes disse...

Ai, que ótimo, adorei os contos também. Que fofa a sua mãe implicantezinha. Eu sou péssima companhia pra hospital, viu. Acompanhei minha mãe quando fez a cirurgia pra retirar a tireóide. Daí ela ficou com uma tosse depois da cirurgia, uma tosse... de traveca! Sabe rouca e grossa? Cada vez que ela tossia, eu ria de chorar. De madrugada. Era mais forte que eu. Ela até achou graça no começo mas eu ria TODA VEZ. Credo, que desnaturada.

Patricia Scarpin disse...

Adorei as historinhas! Que bom saber que a sua mãe está melhor, querida. Fico muito, muito feliz.

Beijo pras duas!

Borboletas nos Olhos disse...

O melhor? a dancinha! Consigo visualizar, é uma constante na minha família...E como não morrer de rir com a patrulha? Minha mãe é igualzinha (senão pior, sempre acho que a minha é pior nesse quesito). Poxa, ela controla minhas unhas, minhas roupas, meu jeito de empilhar panelas...à distância. Oh, yeah, sem nunca ter vindo na minha casa nova.
Enfim, os beijinhos e as preces continuam firmes (como minha mãe tem muita intimidade com um cara lá de cima que ela acredita, pedi que ela incluísse nas orações dela...mal não faz, né?).
Muito carinho, mesmo, mesmo.

Mari Biddle disse...

Olha, fico feliz em saber que 'estamos rindo'. Se estamos rindo é porque está tudo bem.

Fico feliz por vocês.

Bjkas

Caso me esqueçam disse...

1. hoje eh o dia dos posts de maes? que bom! pena que minha mae nunca lera o meu. quer dizer, ainda bem... (nao quero ela lendo aquele blog. :P)

2. "A comida do hospital, sem surpresas, é uma mistura de isopor com sabão" hahuahuahuauhahuahua nossa, acho que eu sou a unica pessoa que gosta de comida de hospital e de aviao? quer dizer, na ultima vez que eu estive num hospital, eu adorei a comida! mas o hospital tinha sido inaugurado ha duas semanas e ela fantastico! duas tvs de tela plana em cada quarto, as camas que fazim uns movimentos incriveis, enfermeiras e medicos super capacitados e cuidadosos. adorei. mas estive em um antes desse em que fiquei no corredor. o banheiro fedia a xixi, minha gente. os enfermeiros tinham mao de ferro... o que me faz acreditar que a comida (que eu nao provei) nao seja la grande coisa...

3. entao, espero que amanha ELA possa fazer dancinhas (e nao fingidas!)

=*

kaka disse...

Rita você é engraçada!!! Li seu conto e fiquei me lembrando do meu pai 30 dias no hospital após um transplante de rim...dias interminaveis da minha vida...mas hoje deu tudo certo e ele está tinindo...teve um dia que ele me olhou e falou filha eu não fico mais nem um minuto aqui...o médico liberou ele pq não tinha jeito ficamos três dias em casa e ele voltou...os enfermeiros quase fizeram abaixo assinado para ele ser liberado...hoje podemos rir de tudo aquilo...mas não foi fácil...tenha força no final tudo vai dar certo...grande beijo kaka

Danielle Martins disse...

Que bom receber suas boas notícias. Vamos continuar na torcida! Beijos!

disse...

Capricha na dancinha amanha! Estamos aqui na torcida pra "moms" voltar logo pra casa.

Beijos!

Rita disse...

Oiiiiiiiiiiii!!!

Juliana, obrigada. Torcida daqui para sua vovó também! Bj, segura firme!

Anginha, muuuito obrigada pela força enorme, você é tudo! Ela está muito melhor, sim, apesar de sabermos que o quadro crônico dela exige cuidados eternos. Mas ela está com as forças renovadas, não tenho dúvida. :-)

Claudinha! Será que seremos assim com nossos pequenos? Minha mãe controla TODOS os detalhes, é impressionante, parece um radar! Eu, hein... Beijo!

Tina, se você ria com a tosse de traveca, imagina o que você teria feito hoje, diante da cena da máscara (post de hoje)... hilário, sem condições. :-)

Patricia, minha mãe recebeu todos os beijos vindos da blogosfera e retribui todos com gratidão. Eu só transmito o recado. :-)

Luciana, hahahaha "meu jeito de empilhar panelas", hahahaha!! Não podemos apresentar uma à outra jamais! A minha hoje tava querendo regular o jeito que eu falo um-hum no telefone!! Socorro! :-P

Mari Biddle, querida, nesse sufoco todo dos últimos dias nem te dei as boas vindas! Fico feliz demais em vê-la passeando por aqui. Obrigada pelas palavras carinhosas e por toda a torcida. Beijo!

Luci, dancinhas ela ainda não faz, mas já fala, ri e dá ordens tudo junto ao mesmo tempo agora, alto e rápido. E eu não acredito que você gosta de comida de hospital: era um hotel, e você confundiu tudo. Prestenção. Ei, hoje comi canjica amarelinha com canela. E ainda esnobei, minha tia perguntou se eu queria pamonha e eu disse "não", assim, sem pena. :-)

Kaka, você acredita que eu ficava com medo de minha mãe forçar a barra mesmo e vir para casa antes da hora... por isso hoje fiz até uma tabela para ela não esquecer nenhuma dose dos remédios e vou ficar na cola para ela não desobedecer nenhuma das ordens da médica. Ui. Bj!

Danielle, gracinha, muuuito obrigada, viu? Vocês me encheram de forças por aqui. Bj!

Dé, valeu pela torcida, ela voltou!! Vai lá ver o post de hoje. Beijão, merci!!

Valeu, pessoas, valeu demais!!

Rita

Cristina Santi disse...

Comecei a ler o teu blog e não consigo parar,que fofo!!!
Tbém cuidei de minha mãe,parabéns viu?
Já to te seguindo.

Rita disse...

Bem vinda, Cristina. Obrigada!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }