Um olho no peixe e outro no gato



A minha cara na aula é essa aí.

Desde a semana passada retomei minhas aulas de yoga. Ah, que bem enorme que isso me faz. Ainda nem cheguei perto de alcançar o nível de profundidade nos exercícios que eu tinha no ano passado, após meses de prática ininterrupta, mas não há problema algum com isso, porque yoga é sobre prática, não sobre desempenho. O aprofundamento vem naturalmente porque as posturas e os exercícios respiratórios são muito eficientes, é impossível não evoluir. Mas independentemente disso, fazer as aulas já é uma delícia.

Gosto particularmente do som da respiração ruidosa que adotamos durante as aulas. Eu embarco na trilha sonora gerada pela respiração ritmada, feita com a glote contraída, que faz lembrar o som do mar. Na yoga, prestamos atenção à respiração, deixamos que ela dite o ritmo das mudanças de postura e o tempo da aula não é o do relógio ou da contagem do professor, mas o do nosso corpo.

Gosto da fluidez dos movimentos também. Não há interrupções para abandonar uma ou outra parte do corpo. Nada de “agora, as pernas”, nããão, nunca. Yoga é tudo de uma vez. Nosso corpo é visto como o conjunto que realmente é, então dançamos com ele todo, seguindo a respiração que o mantém vivo: migramos, em ritmo constante, de uma postura para a outra, como um bailarino que baixa a perna enquanto curva o tronco e ergue o braço e move a cabeça e segue com o olhar e dá graça com os dedos e... yoga é dança e a mente vai junto. Lá pelas tantas, corpo aquecido e cabeça leve, esforço vira energia e nos sentimos mais.

Gosto até dos mantras, tão bonitos. Eu, que não compro dez por cento da filosofia que embala meus professores de yoga, gosto dos sons. São graves, na maioria das vezes, e entram na minha cabeça como um carinho. É bom falar oooommmmm. Simples assim, é bom. Coluna reta, olhos fechados, corpo pronto, mente leve, eu feliz: ooooommmmmmm. É booommmm.

A concentração nas aulas de yoga me chega sem qualquer esforço. O chefe pode me irritar, o computador pode emperrar, o trânsito pode me fazer chegar atrasada: começa a aula, logo estou ali, completa (o celular também vai pra aula, que quem é mãe não tem folga, mas só me lembro dele se ele tocar).

Mas, olha, tudo está ameaçado: agora me distraio um pouco nas posturas que me fazem virar pro lado. Gosto mais dessas. Quase anseio por elas. Viro de lado e a cabeça e o olhar deveriam seguir lá pro fundo da sala, nas torções, sabem? E a cabeça até vira, mas o olhar... ah, sem chances. Agora olho pro aluno do lado, um gato! Ai, ando na maior paqueração. E modesto, diz que não consegue fazer nada, mas não é verdade. Hoje mandou bem demais, todo equilibrado, respiração ritmada, um primor. Ele me distrai um pouquinho, sim, não posso negar. Mas tá tudo certo. Quem tem a sorte de fazer yoga com o marido? Eu tenho. Se eu reclamasse que ando menos concentrada, não teria aprendido nada da vida ainda.

Parabéns, amor. Bem vindo. E não é que o que é bom sempre pode melhorar? Namasté, namasté...

9 comentários:

Tina Lopes disse...

Hahahahahahaahah que ótimo! Tomara que ele goste como você!

Borboletas nos Olhos disse...

Pode melhorar, pode melhorar...este título está primoroso, rsrrsr

Luciane Curitiba disse...

Ui, que susto!! Já tava achando que vc tinha (quase) perdido o juízo, menina. Tsc, tsc, tsc, tolinha eu, né?! Bjoca!

Nardele disse...

Hahah... Rita, você não existe! Eu já estava fazendo mil elocubrações!

Ando louca pra "yogar" também.

Beijo!

Rita disse...

Oi, Tinoca! :-) Ele tá gostando, sim; mas já machucou o dedo e não gosta dos mantras. Vamos pra frente. Bj!

Oi, Borboleta! Né? É bem isso. :-)

Luciane e Nardele: hihihi... morri de rir do sustinho de vocês. :-D Tô doida não, gente!! E Nardele, dê seu jeito aí, você vai curtir!

Beijinhos!
Rita

Marcia disse...

Voces dois sao mesmo um casal 20. Que fofo! Continuem lindinhos assim.
Beijos

Rita disse...

Oi, Marcia! Né? :-)
Bj!
Rita

Caso me esqueçam disse...

que massa! eu sou louca pra fazer yoga! perguntei um dia desses o preço a camilo (que fazia), mas era na faculdade dele e tal... que coco! eu preciso fazer algum exercicio de relaxamento como esses. eu ja pensei em pilates, mas... bom. acabo nunca indo atras. camilo me ensinou uns movimentos pra alongar que ele aprendeu fazendo yoga. eh uma delicia! levinho levinho!

Rita disse...

Oi, Luci

Bom, recomendo yoga pra todo mundo: pra quem quer ficar forte, pra quem quer relaxar, pra quem quer meditar, pra quem quer corrigir a postura, etc.

Tem modalidade pra todo gosto, light, power, zen..

Cabe todo mundo e é tudo de bom.

Beijão!
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }