Confissões um pouco graves



A impressão que tenho sobre A Sombra do Vento, do espanhol Carlos Ruiz Zafón, é de que se trata de um daqueles best sellers cujo autor encontrou uma fórmula que vende bem e a executa com relativa competência. É só uma impressão, ainda nem passei da página 30. E é uma impressão absurda, porque esse é o primeiro livro que leio dele. Tá bom, vou confessar: o Odisseus está lendo outro, O Jogo do Anjo, e já leu A Sombra; e comentou que fica bem evidente a repetição dos mesmos recursos e coisa e tal. Então minha impressão não é exatamente uma  impressão, é um pré-conceito contaminado.

Bom, eu olhei para o livro, ele olhou para mim, vamos lá. Por enquanto, maré baixa, nada demais. Mas tem um menino apaixonado por livros. E, certo dia, o pai o apresenta a um Cemitério dos Livros Esquecidos. E aí existe a Clara, a menina cega, de olhos que "apalpavam o vazio". Vou indo. Veja lá, hein, Seu Zafón, não vá me deixar com a sensação de "ai, e tanta coisa no mundo para ser lida". Em pouco mais de 20 páginas já vi uns tantos clichês, mas como são clichês bem bonitinhos, vou insistindo.

***

Confissões independentes de uma ex-acadêmica rebelde: eu leio best sellers de vez em quando. Sempre me culpo e saio com aquele papo de "aiiiii, ainda nem li Madame Bovary, ainda há tanto do Joyce, da Woolf, do Machado, do Whitman..." - you name it. Mas de vez em quando lá vou eu à cata de caçadores de pipas e meninas que roubam livros. Quando a jornada vale a pena, hum, bom. Quando não... bem, paciência; pelo menos já aprendi a largar livros no meio, sem dó.  (Depois não diga que não avisei, seu Zafón.) Qualquer coisa, largo mão e me mando pra Macondo.

***

Vamos brincar de conversar? O que vocês andam lendo por aí, hein? Contem, contem, contem!


19 comentários:

Jux disse...

então Ritíssima!
Leio muitas coisas, todo os dias... desde blogs fofos, jurisprudência, textos e mais textos... e escrevo muito também - nem tanto quanto gostaria no meu sótão virtual, mas em frios locais corporativos...

Voltando ao que leio: estou lendo Ensaio sobre a Cegueira - psssssiuuuuu! É segredo, sempre quis ler o moço e puxa, ele foi lá em cima bater um papo com outros queridos, e deixou uma penca de "novos-fãs". Sou velha fã e até prefiro silenciar a parecer "mais uma na moda" :P

E uma outra leitura marcante: uma dissertação cuja introdução da mestra, tão sensível, intensa e emocionada, arrancou umas gotas dos olhos, ao me identificar com experiências da autora, tão pessoais, quanto dolorosas e reais... mas a obra em si de nada tem negativo! Ao contrário, cheia de otimismo e vontade de fazer um mundo melhor!

Beijukka!!!

Daniela disse...

Ai.Blogs,notícias sobre eleições e apostilas de concursos.

Mas deixa eu aqui confessar: li todos os livros do Sidney Sheldon

Caso me esqueçam disse...

hmmm... tou lendo "gabriela cravo e canela". e agora tou morrendo de saudade do brasil. sonhando com inhame, com minha mae, com meus amigos... tenho certeza que o livro contribuiu pra isso (mesmo se eu sei que ja faz cinco meses desde minhas ultimas ferias no brasil). ainda tou pela pagina 70 (das 350 do livro), mas tou adorando! nao eh o livro mais viciante do mundo (pelo menos ate aqui), mas a cada paradinha que demos pra descansar da viagem, camilo e eu sacamos nossos livros. tah sendo muito bom ir de berlim a ilheus em dois segundos hehehe. camilo tah lendo um livro sobre o cara que comandava o campo de concentracao de auschwitz. se chama "a morte eh minha profissao" ou qualquer coisa que o valha. ele tah adorando! o livro ta dandoa gente muito assunto pra discutir nao somente sobre guerra, mas sobre criacao dos filhos (porque nada eh por acaso, neh? esse cara nao virou assassino do dia pra noite. eh ai que entra o assunto sobre como educar um filho. e foi aih que entrou na conversa o tal do blog estrada anil) ;)

Angela disse...

Ha anos que nao consigo ler nada, mas foi uma vitoria ha um pouco mais de um ano consegui fazer tempo para passar uns minutinhos lendo seu bloguinho :) Entao, eh isso que estou lendo, e tou satisfeita! Recomendo. ;)

Anônimo disse...

hummm são tantos mas estou adorando ler Dominique Julia falando das culturas escolares e a história das disciplinas. Mas a paixão deste trimestre mesmo é o livro da minha professora Gladys "Uma vez normalista sempre normalista" fiz descobertas históricas acerca da pedagogia moderna e suas práticas escolares. Descobri que mesmo sempre uma professora comtemporânea tenho muitas práticas da pedagogia moderno, o livro tem depoimentos de uma professora que incorporou o habitus da reforma republicana e isto torna as práticas da epóca muito vivas. Fascinante!!!

Anônimo disse...

o anônimo é Kaka
Trocandoexperiencias-pense.blogspot.com

Lord Anderson disse...

Eu leio muita coisa todo mês, principalmente ficção cientifica e terror.

Em termos de livros, estou terminando O Ultimo Olimpiano da serie infanto0juvenil Percy Jackson e Os Olimpianos, que fala sobre deuses gregos vivendo no mundo moderno.

Alma e Sangue, uma serie sobre vampiros escritos pela brasileira Nazare Fonseca (recomendo.

E alguns romances eroticos.

Tb leio quadrinhos, a serie Vertigo e a revista do super-heroi Lanterna Verde.

Comecei o manga (quadrinho japones) Claymore e tenho lido blogs e sites de noticias.

Praticamente não leio mais revistas e jornais.

Ana Duarte disse...

Oi Rita!!!
Olha a sumida aqui de novo. Eu no momento so leio e releio "Desmundo" de Ana Miranda. Que por acaso é o assunto da minha dissertaçao. hehehe Leio também livros de teoria para escrever o texto. So... Quer dizer, so nao, pq so isso ja esta bom demais! kkkkk

Mas nao vejo a hora de ler o "Evangelho segundo Jesus Cristo" todinho, meu namorado chegou com o livro na semana passada, ontem nao resisti e ja li duas paginas. Mas tive que parar, pois percebi que se lesse mais nao ia conseguir parar, e, consequentemente, ia abandonar as mil coisas que ainda tenho que ler...
Entao, Saramago so depois de tudo feito :-(

Bjao Rita!

Ps: mesmo nao comentando sempre, leio seu blog todos os dias, alias, ja virou habito :-)

disse...

Ola' Rita, ja' faz um tempo que acompanho o seu blog (desde o concurso da Lola!), mas acho que é a 1° vez que comento. Adoro o jeito que você escreve, parece aquela velha amiga te contando uma historia... :)

Mas vamos aos livros! Sou uma devoradora de livros, so' não leio mais pq o meu pequeno de 1 ano não tem me deixado muito tempo. Estou viciada (e inclusive ja' falei no meu blog) em uma autora francesa que se chama Amélie Nothomb. Você conhece? Se ainda não, eu recomendo "Stupeur et tremblements" e "Hygiène de l'assassin" (nao sei qual a traduçao em portugues, mas nao deve ser dificil encontrar). Sao excelentes!

Beijao,
Adélia

larissa disse...

Não to lendo quase nada de interessante ultimamente, só coisas acadêmicas mesmo. O último romance que li foi Ciranda de Pedra de Lygia Fagundes Telles.

Rita disse...

Oiê, povo que lê!

Jux, não ligue, declare seu amor pelo português; deixe que julguem! Ora, se é legítimo, quem quiser que se torça, né não? Bom, o Ensaio comecei a ler na livraria, folheando livros ao acaso, sabe? Depois da primeira frase, fechei o livro e fui pro caixa. Se já era Nobel, não lembro. Caí de amores nas primeiras linhas. Mas ele é apenas um das várias leituras imperdíveis do Saramago. Mas você já tá sabendo disso. Bjs!

Dani, vamos falar beeem baixinho, ta? Li vários do Sheldon, lá pela oitava série, acho. Meu favorito era O Reverso da Medalha. Aff, adoraaava. Que bom que o tempo passa, né? Hehehe. Beijos!

Oi, Luci. E, como é bom trocar figurinhas, ne? Às vezes eu e o Ulisses nos atrapalhamos o tempo todo: "hahaha, olha que legal" e interrompemos a leitura do outro para ler uma passagem do livro que estamos lendo. Quem aguenta? Só nós, só nós. Gabriela nunca li, pode? Meu eterno favorito do Jorge Amado é Capitães de Areia. O que o Camilo tá lendo parece interessante. E tô adorando me meter nas conversas de vocês. ;-)

Rita

Rita disse...

Anginha, sua docinha. Você tem crédito, menina. O tanto que você leu antes de ter filhos te garante uma reservinha de boas histórias na cabeça... e depois você volta à ativa. Ah, e não me diga que não anda lendo livros infantis, que não vou acreditar! Bjs!

Kaka, antes de você se identificar, eu já sabia que era você. ;-) Garota focada! Beijo grande!

Oi, Lord Anderson! Olha, tive minha fase de paixão pela mitologia grega, quem não teve? Mas a minha principal leitura sobre o tema foi Os Doze Trabalho de Hércules, do Monteiro Lobato, hahahahaha! Amava, li umas três vezes e devo ter assistido Fúria de Titãs (o primeiro) umas mil e quinhentas vezes. E, claro, vi o segundo no cinema, logo que lançaram. Serve? E, olha, ando meio cansada de tantos vampiros pelo mundo. E nos anos 80 eu era superfã! Tenho em casa alguns livros da Anne Rice, mas só li Pandora. E morro de tédio da série Crepúsculo. Perdoa? Quanto aos quadrinhos, A Turma da Mõnica manda e desmanda aqui em casa, hihihi. Abração!!

Rita

Rita disse...

Ana!! Oiê. Ah, quando eu estava escrevendo a tese era a mesma coisa, fugia do que me atraía, que coisa triste. Mas tudo vale a pena depois da missão cumprida. Antes da tese, na fase das disciplinas, lia muito. Além das obrigações acadêmicas, foi uma fase de muita leitura. Mas eu tinha bolsa, não trabalhava e não tinha filhos. Então tá explicado, ne? Mesmo assim, quando comecei a tese, acabou-se tudo. Esquenta não, tudo na sua hora. Bom trabalho aí! Obrigada pela pausa para passar por aqui, honra grande! Bj!

Adélia, muito prazer! Seja bem vinda, você que já anda caladinha por aqui há tanto tempo (viu que vai rolar outro concurso da Lola?). Muito obrigada pela companhia, viu? Ó, não conheço a Amélie Nothomb, mas vou atrás da moça! E vou lá ver seu blog também. Beijocas!

Oi, Larissa. Você também anda enterrada em papel, né? É bom dar uma escapadinha de vez em quando pra fugir dos Atenciosamente e Respeitosamente, né não? ;-)

Gente boa, muito obrigada pelos comentários e dicas de leitura. E a lista segue crescendo... Beijos, valeu!

Rita

Isa disse...

Tô lendo o 1808, uma delícia de relato histórico sobre a fuga da família real para o Brasil...recomendado...
Bjs.

Borboletas nos Olhos disse...

Ai linda, perdi a hora? rsrsr. Mesmo assim insisto. Além de todos os textos de psicologia jurídica que encontro, estou lendo 1808, um livro chamado Film Noir com obase pra um texto que estou preparando pra um caderno cultural, Mulheres Perigosas - uma coletânea organizada por Otto Penzler e duas releituras: A doença da Morte de M. Duras e Quando Tereza brigou com Deus de Jodorowsky. Recomendo demais.
E, agora, uma confissão, estava/ estou lendo A Sombra do Vento mas, deu um tédio, parei. Sei que vou terminar porque sou insistente e ainda não consigo deixar um livro pelo meio. Bjs esvoaçantes

Juliana disse...

De tudo que esta escrito so consegui me fixar na afirmação de que vocÊ ainda não leu Madame Bovary!!! como assim, Rita??? Tem que ler! :)
Adoro, adoro, adoro esse livro!


ah, eu bem vi Fale com Ela! Que filme, hein? Acabei de ver! Tô sem palavras. Só fico pensando no nome do Benigno e na ambiguidade de sua personalidade.

Esse Almodovar é de deiar a gente sem fôlego!!

beijooooo

Lord Anderson disse...

Rita

Eu comecei a gostar de mitologia grega por causa de um almanaque especial da Disney que li quando criança e me apaixonei.

Li Os Doze Trabalhos (assim como quase tudo do Lobato), assisti os Argonautas, Furia dos Titãs (odiei o remake), as muitas versões de Hercules, Xena, enfim ,quase tudo que tinha os deuses.

Percy Jackson é bem infato-juvenil mesmo, comprei p/ os meus sobrinhos mas como tem deuses, batalhase muito bom humor, acabou me fisgando.

Concordo que esta uma overdose de vampiros e por isso mesmo tenho escolhido com cuidado oq ler, alem do que na pior das hipoteses, sempre tem os romances com lobisomens, fantasmas, alienigenas, dragões, etc ^^

E não te perdoo não. Vc deveria é dizer que Crepusculo é chato, mal escrito e uma perda de tempo. ^^

E turma da Mônica ainda tem espaço com minhas crinaças, junto com a versão adolescente.

Iara disse...

Ando numa semana de preguiça virtual, mas este post tem que ser comentado.

Então, leituras. Depois das férias, tem rendido menos. Tô lendo "Deslocamentos do Feminino", da Maria Rita Kehl, o último dos livros feministas que eu me propus a ler por enquanto (antes de voltar para as leituras da pós). Não tinha como adiar, porque marido que deu, e autografado pela autora, né? Ela trata das construções do discurso do que é feminino do ponto de vista psicanalítico (vou fazer post quando terminar, claro).

Na fila, já começado, tem o "Desenvolvimento como Liberdade", que é de Economia para não-economistas.

E depois vou ter voltar para os da pós, mais específicos. Muito tempo sem ler romances-delícia, acho que o último foi "A mulher de 30 anos" (porque, né? minha idade), mas de vez em quando escapo pros contos. Marido e eu de vez em quando lemos contos em voz alta um para o outro.

Como alguém disse aí encima, trata de colocar a Madame Bovary na sua lista, viu? Emma Bovary é uma das grandes personagens da literatura mundial. O libro que estou lendo analisa a obra como construção do arquétipo feminino contemporâneo.

Ui! Prolixa, eu, né?

Rita disse...

Oi, Isa! Pois é, você não é a primeira pessoa que me fala de 1808. Anotado! Bj!

Borboleta, que perdeu a hora nada, se quiser comentar no primeiro post, fique à vontade, vou lá e respondo. Menina, como cê lê tanta coisa ao mesmo tempo? Qto ao Sombra, estou achando bem mais ou menos, viu? Vamos em frente...

Ju! Que bom que você viu Fale com Ela! Gostei muito também, preciso ver de novo, já faz tempo... E pode deixar, sim senhora, vou ler Madame Bovary assim que terminar A Sombra do Vento. Ai, como faço promessas... eu não ia ler Cem Anos de novo? Ui.

Oi, Lord! Também tenho um exemplar meio manga da Turma da Mônica adolescente. Quer dizer, totalemente manga, ne? Gostei, pero no mucho. Gosto mesmo e do Chico Bento roubando "as goiaba do Nhô Lau". Bj!

Oi, Iara. Tá bom, tá bom, tá bom, depois da sua bronca e da da Ju, vou ler Mme Bovary, tá bom, vou fazer esse sacriício, hihihi. E estou aguardando sua resenha!

Beijocas!
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }