Dia bom



Os sábados foram feitos para comemorações. Mas nem todo sábado parece saber disso e às vezes eles amanhecem moribundos, cansados, nublados. Não que a chuva seja necessariamente sinônimo de tristeza, que às vezes ela bem que lava as almas, mas, convenhamos, certos sábados têm nuvens de humores ruins. Diria mesmo que alguns nem se dão conta de sua função dançarina, de sua condição de portador de sorrisos, suspiros, sonecas; insistem na cara de rotina.

Mas hoje não. Hoje é Sábado maiúsculo, grande, soberano, feliz, dançante. Hoje é dia bom, de luz longa e radiante, sem sombras. Hoje celebro, hoje tenho sorrisos, ainda que o coração se aperte, porque o aperto nasce de um querer bom. O dia de hoje vai ser de alquimias e minha saudade vai se transformar em festa, porque o sábado que nasceu hoje trouxe consigo as canções de que preciso para dançar. Hoje quero pegar o dia em meus braços, abri-lo inteiro e dar a você, mãe, o seu aniversário de setenta anos.

Tanto desses anos todos você dedicou a nos proteger e fazer crescer, que minha vida nada mais é do que um galhinho bem cuidado, nascido do tronco generoso em que você transformou sua vida. E ainda que eu ande dando uns frutinhos bons (v. foto lá embaixo...), eu nada seria sem beber da raiz boa que é seu coração. É tudo você: meus passos, meus saltos, meus voos, tudo. Você está sempre ali, e vai estar para sempre porque você é meu combustível. Tenho tanta sorte: nasci de você, que é tão linda e tão grande. Cresci sob sua asa, que é tão boa e tão certeira. Você é enorme, mãe, num sem tamanho de amor e força que não há como eu possa amá-la à altura. Mas teimo e sigo encontrando em meu amor por você muitos dos ensinamentos de que preciso para acertar os passos.

Ah, mas isso é só um pedacinho. Você já era antes, já vem de longe seu brilho. Sua história de vida poderia ser contada em livro bom, de arrebatar corações e mentes, não cabe em um post. Sua vida longa tem enredo nobre, com corações partidos, mas consertados com bondade e sabedoria, batalhas vencidas, pontes atravessadas, tanto caminhar. Sua história merece mão talentosa que pinte um quadro todinho em luz, para ilustrar seu olhar e sua alma que transborda por ele. Não, não cabe aqui, em um post.

É só olhar para você para me perceber pequena. Ainda que seu sangue corra em mim, não me imagino vencendo metade das batalhas que você enfrentou com a garra de quem se sabe maior que seu mundo. Minha vida tem roteiro fácil: você estava ou está ali, nos bastidores, ou no palco, junto comigo. Mas sua própria jornada você traçou sozinha e o mérito é inteiramente seu. Claro, sempre houve amigos e almas boas atraídas por sua luz, mas seus avanços nasceram de sua grandeza.

Não, não cabe aqui. Um Sábado desses precisa de mais. Precisa que você saiba, no fundo do seu coração, o quão preciosa sua presença é na vida de todos nós que temos a sorte de girar ao seu redor. É preciso que você nunca duvide que nós precisamos de você, porque você é nosso sol. É preciso que você tenha certeza, todos os dias, de que vivemos, sonhamos e lutamos com mais alegria porque você vive, sonha e luta com a gente. Eu preciso do seu sorriso, do seu comentário, sua crítica, suas graças, seus pitacos, sua mão.

A sua mão, por sinal, trago comigo sempre. Seguro nela várias vezes por dia, cada vez que opto pela ética, pela compaixão, pelo respeito; seguro nela e sigo firme. Sua mão me guia; fica fácil assim. Se a solto, às vezes? Sim, mas só porque o ensinamento bom passa a fazer parte de nós. E sigo sendo um pouco você.

Setenta anos. Minha memória me traz as histórias de antes, que ouvi você contar. Mas as marcas mais fortes são mesmo as que têm cheiro e cor para mim. Lembro de minha infância com você ali na minha escola, vendo meu desfile; fazendo meu prato; arrumando minha cama, corrigindo meu caderno, trazendo a boneca, ensinando a fazer o bolo, levando ao passeio, elogiando, babando, corrigindo, amando muito. Lembro de sua força nas dores, nas despedidas, nos desafios, nas dúvidas. Lembro de seu apoio nos medos. Lembro da profissional brilhante, da mulher inteligente, admirável. Lembro de sua teimosia em ser justa. Lembro de sua beleza, seus grisalhos charmosos, seu andar elegante. Lembro de suas saias longas e pernas sempre tão elogiadas! Lembro de seu esmalte vermelho-telha, seu batom caprichado e seus brincos dourados. Lembro de uma risada alta, boa, de alegria. Lembro de sua espera no portão. Lembro de sua doçura, sempre. Sete décadas de doçura - e pode continuar contando. Estrela tem vida longa, menina, brilho é coisa que se renova.

De nossos conflitos? Ora, o que há com eles, meros perrengues pequeninos perdidos na imensidão que é nossa alegria de termos as vidas entrelaçadas! Deixa os conflitos, eles apimentam nossa relação de pessoas pensantes que se adoram, mas se percebem diferentes. Faz parte da beleza da vida; se fôssemos iguais, cansaríamos de tanto espelho. Bom mesmo é a arenga que sempre acaba em beijos e amores fortalecidos.

Minha mãezinha queridíssima, sempre temos tanto a conversar. Precisamos de muitos pratos de canjica quentinha, muitos copos de leite com café e cadeiras confortáveis para esticar nossas palestras sem fim. Já já. Hoje vamos nos concentrar na grandeza da data, no dia em que você celebra a vida e as muitas vitórias. E eu queria que você soubesse que cada pedacinho de alegria que minha vida me dá é dedicado a você, a dona por direito de cada um deles.

Minha respeitável senhora de setenta anos, quanto orgulho! Como é bom erguer minha cabeça, estufar meu peito e dizer que sou sua filha. Como é bom saber que nunca vamos nos separar, porque nossos corações já aprenderam a driblar a distância. Você é muito mais que uma mãe, claro, é mulher, filha, irmã, amiga, pessoa boa. Mas eu posso ver tudo de meu posto privilegiado de filha e, olha, é tudo de bom. Ter você como mãe me faz feliz, é simples assim.

Amamos muito você e sabemos o quanto você também nos ama. E não precisamos de mais nada.

Feliz aniversário! FELIZ SETENTA ANOS!! SE-TEN-TA! Ouviu? Uau... Lindo demais!! PARABÉNS!!!!!!!!! Abrace seu sábado, bonitinha!



Com amor infinito,

Rita, Ulisses, Arthur e Amanda



- E quem vai fazer boca de beijinho para a vovó?
- Eeeeeeeuuuuuuuu!!!! Beijo, vovó, um em cada bochecha! Te amamos muitoooooooo!!!!



9 comentários:

Daniela disse...

Lindo...

Felicidades mil para a mamãe da Rita.

Borboletas nos Olhos disse...

Um lindo texto. Comovi-me e alegrei-me. Adoro passear nesta estrada, dá-me uma tal ternura de viver! Obrigada e dá um beijo de feliz aniversário de minha parte, ok?

Nardele disse...

Aaaahh, Rita... Poxa. Todos os males do mundo caem por terra quando existe um amor como esse. Fui lendo e me emocionando! Que lindo, menina, que lindo mesmo! Parabéns a toda a sua família pela sua mamãe, e claro, a ela, pelo dia tão especial! Ontem deitada pra dormir, estava pensando em como eu amo os meus pais. É exatamente assim, infinito, incondicional, radiante... não adianta. Posso usar mil palavras e ainda será pouco!

Parabéns mais uma vez. Sua mamãe vai ficar muito feliz quando a amiga levar o texto impresso pra ela ler! Não é assim? Verônica, talvez? Não lembro exatamente o nome, mas lembro que é alguém também super especial pra vocês. Vovó orgulhosa dos netos lindos que ela tem!

Mil beijos, linda!!!

Vivien Morgato : disse...

Que declaração de amor mais linda, mulé...

Sinara disse...

Feliz Niver, vovó Berna!!!!!!!! Junto com ela, tem Mikaella e Murillo (maridão da minha irmã Simone)... Muita festa mesmo!!!!!!!!! Que Dona Bernadete tenha muita saúde e braços pra aguentar os abraços mil de todos vocês!!!! Bjs!

Jussara disse...

Lindo e emocionante o seu texto. Certamente vc tem muito das qualidades e caráter dela. Não te conheço pessoalmente, mas pelos seus posts dá pra saber ;).
Parabéns pra vcs duas!
E essas bocas de beijinho (e os donos das bocas) são as coisas mais linducas :-).

Angela disse...

Feliz Aniversario D Bernadete!!! Um grande beijo e parabens pela homenagem linda aqui. Voce mais do que merece!

Rita disse...

Oi, pessoas.

A feliz aniversariante agradece, comovida, tanto carinho. E deseja tudo de bom para cada um de vocês.

E eu agradeço muito também. Valeu, pessoas.

Beijos,
Rita

Luciane Curitiba disse...

Lindo, lindo!! Ei, sábado foi níver da minha mami também!!Elas são demais, né?? Parabéns!!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }