First things first



Para parar de reclamar, fiz um bolo. Escolhi uma receita simples, que serve de base para outros bolos, retirada do mesmo livro onde está a receita dos brownies, The Essential Baking Cookbook.

O resultado foi um bolo fofinho, partido ainda quentinho, no intervalo do jogo que tirou os EUA da Copa. Combinou bem o com dia nublado, o café quentinho e brinquedos pela sala.

Hoje pela manhã eu tinha grandes planos para o dia: curtir a casa, o marido e os filhotes, avançar na leitura do livro que estou lendo agora, assistir aos jogos da Copa, fazer um bolo e tomar um banho longo, sem pressa. Havia também um plano menor, fazer as unhas. Agora que o dia quase acabou, vejo que apenas o plano menor ficou para amanhã. Então estou aqui, de unhas tortas e cheias de cutículas, mas na cozinha paira um cheirinho bom de bolo, li cerca de quatro capítulos do livro, minha filhota já me abraçou forte e disse que me ama três vezes, o marido já fez massagem no meu pé e dancei com o Arthur no tapete da sala, ao som do Jack Johnson, nós dois cantando alto: "you'd better hope you're not alone, doo doo doo doo...". As unhas podem esperar.


***

Pound Cake

375 gramas de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
375 gramas de açúcar (usei cristal orgânico)
1 colher (chá) de essência de baunilha
6 ovos, levemente batidos
375 gramas de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
60 ml de leite

Pré-aqueça o forno a 180 graus. Unte uma forma redonda  (22cm) e forre-a com papel manteiga. Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme leve e fofinho. Acrescente a essência de baunilha e então adicione os ovos, gradualmente, batendo completamente após cada adição. Desligue a batedeira e, com uma colher de metal ou madeira (usei a de madeira), ou mesmo uma espátula, acrescente, alternadamente, a farinha peneirada, o fermento e o leite. Faça isso em três ou quatro vezes. Misture até que a mistura esteja homogênea, não é necessário bater. Transfira a mistura para a forma, nivele com a ajuda de uma espátula e leve ao forno. A receita do livro fala em uma hora de forno, mas assei o meu em 50 minutos. Fique de olho. Após assado, retire do forno e deixe o bolo esfriar completamente antes de desenformar. Se quiser, polvilhe com açúcar de confeiteiro antes de servir. Passe um bom café e coma logo, antes que o segundo tempo comece. :-)

7 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Desse jeito, até "o céu pode esperar", que delícia de dia e...seu bolo está tentador! pena que meus dotes culinários se limitam a comidinhas salgadas..

Lud disse...

Ritinha,
minha sugestão para unhas: corto curtinho duas vezes por semana e deixo as cutículas quietas. Com o tempo (e hidratante), elas voltam ao estado da infância: fininhas, quase invisíveis e coladinhas nas unhas. Que voltam a ser eficientes alavancas/chaves-de-fenda/desatadoras de nós, porque não tem esmalte para estragar, hohoho.
Beijos!

Rita disse...

Oi, Borboleta, podemos trocar figurinhas: só faço doces... :-/

Bjs!

Oi, Lud... vc fica muuuito brava comigo se eu disser que HOJE (domingone) não só fiz as unhas, como pintei de AZUL (a Copa, amiga, a Copa)? Conta aí, qtos pontos perdi? Alguma chance de recuperação? ;-P

Bjocas!

Rita

Patricia Scarpin disse...

Rita, parei de fazer as unhas semanalmente desde o final do ano passado e te digo que foi uma das coisas mais libertadores que fiz na vida - não preciso mais me preocupar com esmalte descascando, cutícula, etc. Mantenho curtas e limpas e pronto. E estou adorando (quando resolvi parar achei que não agüentaria nem 1 mês).

Ah, quero um pedaço desse bolo! Que nuvem, querida!

Beijão!

Lud disse...

Imagina, Ritinha. Não fico nada brava. Ainda mais se o esmalte for azul, cor que minha mãe dizia que me deixava com "mão de defunto", hohoho.

Rita disse...

Oi, Patricia! Ai, gosto tanto das unhas feitas e pintadinhas... mas concordo que seria uma libertação. Quem sabe um dia, quem sabe... Por enquanto, estou aqui, digitando com minhas unhas azuis-bic (uma amiga me ensinou o nome hoje). Esse mundo dá voltas, viu? Se alguém me dissesse que eu pintaria minhas unhas de azul um dia, eu diria 'só se for na Copa'.. ei, mas é Copa! Ah, então tá bom. :-)

Lud, meu marido perguntou onde eu tinha machucado as pontas dos dedos. Sem graça.

Beijos, meninas livres que não faze mais as unhas! Adoro vocês!
Rita

iraneide disse...

Oi Patrícia me diz uma coisa, num pode ser apenas untada com manteiga e farinha de trigo ñ em vez de papel manteiga? E ele cresce mto?

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }