Japão sem sushi, paella e um sorriso guardado


Então ontem foi dia de comilança. Mesmo antes de chegar a Londres, estava de olho no Wagamama, restaurante de comida japonesa. A primeira vez que ouvi falar dele foi em um post do blog da Marcinha. É um post antigo, de 2004, mas ontem pude ver que a descrição contida lá continua valendo. 

À primeira vista, a ideia de dividir a mesa com estranhos pode causar estranheza. De fato, assim que entrei no Wagamama, lembrei imediatamente daqueles restaurantes universitários, onde a gente divide um banco com outros estudantes enquanto bate um bandejão. Mas não tive muito tempo para ficar perdida em devaneios porque fomos prontamente atendidos e conduzidos a uma mesa (onde outras pessoas já saboreavam suas refeições coloridas) e recebemos uma breve explicação de como funciona o restaurante, onde ficavam os banheiros, etc. 

Ulisses

Escolhemos nossos pratos (éramos só eu, o Ulisses e o Arthur) e cerca de cinco minutos depois já estávamos comendo. E vocês devem estar pensando: hum, a Rita se acabou no sushi! Não, no Wagamama não há sushis ou sashimis. Há uma boa variedade de outros pratos da culinária japonesa (e acho que de outros lugares também; na verdade, acho que é um restaurante com cardápio "inspirado" na culinária japonesa, ou algo que o valha) e isso era justamente um dos motivos de eu querer comer lá: a chance de conhecer outros sabores daquelas bandas, além dos consagrados sushis.

Eu

Não nos arrependemos. O Ulisses foi de Yaki Soba, lindo e delicioso, acompanhado por uns camarõezinhos empanados servidos com um molho não sei das quantas bem gostoso. Eu fui de Chicken Tama Rice e o Arthur comeu Grilled Fish Noodle (escolhido do cardápio infantil). Tudo gostoso e em quantidades generosas. O suco de maracujá (oba!) com laranja estava divino, natural e inesquecível (eu sei, é só um suco de maracujá, mas eu adoro suco de maracujá, dá licença; minha vida é simples). 

Arthur

Adorei a experiência e quero comer lá outra vez, experimentar outros pratos. Antes de sairmos do restaurante, fiquei aguardando em um cantinho enquanto o Ulisses acompanhava o Arthur ao banheiro e observei o trabalho ininterrupto dos simpáticos e eficientes garçons e garçonetes. E vi tantos pratos lindos desfilando pelas mesas comunitárias que preciso voltar para conferir pelo menos mais um. Engrosso a lista e recomendo. 

Mas não parei por aí. 

Uma vez por mês, a Mila e outras brasileiras que moram por aqui se reúnem para colocar o papo em dia. É uma noite Luluzinha e cada mês uma delas assume a responsabilidade de escolher o restaurante, reservar mesas para o jantar e comunicar o horário e local a todas as meninas do grupo. Ontem, gentilmente, fui incluída na patota e fui jantar no La Tasca, restaurante espanhol localizado em um prédio modernete em frente à Victoria Station. 

Luluzinhas

A comida era o que menos importava, porque o bom mesmo era ficar de papo com a Mila e conhecer as outras garotas. Mas nem por isso comi mal. Muito pelo contrário, devorei dois pratos de uma irretocável paella de mariscos. Entre um "hummm" e outro, muitas histórias, casos e risadas. Foi também uma noite de memórias, em que lembramos com carinho da Ruth, amiga das meninas que faleceu em 2004. Conheci a Ruth através da Mila, em 1998, e durante o tempo em que estudei aqui dividimos algumas risadas em saídas sempre cheias de histórias. A Ruth perdeu a luta para um câncer invasivo e violento, mas deixou muitas lembranças divertidas entre suas amigas. Ontem conheci algumas delas, lembrei de outras que presenciei em 98 e senti muito ao saber que sua partida foi bem mais dolorida do que eu tinha imaginado. Mas vou ficar com a lembrança de seu sorriso, guardado em casa em fotos daquela época.

(Ruth, havia lugar para você ontem, menina. Mas vou te falar uma coisa: toda vez que seu nome foi pronunciado, foi imediatamente seguido por uma risada movida a lembranças hilárias.  Só pra você saber.) 

Mila, obrigada pelo convite. Meninas, prazer em conhecê-las! 

3 comentários:

Angela disse...

Hhuum que noite gostosa, mais boas memorias construidas para levar com voce heim?
Olha, aquela "ideia" para a qual solicitei votos ganhou em primeiro lugar. Nao sei bem se a industria quer que a cura do cancer seja encontrada/facilitada, mas cada passinho eh um passo.
(e a priminha de Pete, ainda esta lutando contra a Host vs Graft.)
Beijao!

Marcia disse...

Oi Rita, que bacana que vocês gostaram do Wagamama. Se vocês forem novamente, eu recomendo os ramens, que são o forte deles. E também uma porção de gyoza e outra de edamame. Para quem gosta do sabor do yakissoba, cha-han também é uma boa alternativa. :)

Rita disse...

Oi,Anginha

que boa notícia! Valeu a campanha então,fico muito feliz.

Marcinha, muito obrigada pela visita, volte sempre! Quero muito voltar ao Wagamama e todas suas dicas estão anotadas, obrigadinha. Em se tratando de comida, querida, você manda e eu obedeço. Beijos!

Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }