Kew Gardens - o mundo, bonito


Enquanto o noticiário local se divide entre a fumaça do vulcão (não, mãe, não chegou aqui, apesar da interrupção dos serviços dos aeroportos) e o debate dos candidatos a Primeiro Ministro (aqui também tem eleição este ano), nós andamos em outro mundo. Completamente sem fumaça, fizemos hoje um dos passeios mais legais desde que chegamos. Na verdade, não é exagero dizer que fomos na tarde de hoje ao lugar mais lindo que já vimos na vida. Bom, pelo menos foi o comentário que saltou de minha boca quando me vi no meio de um dos jardins do Kew Gardens, momentos antes de ouvir a mesma coisa vinda da boca de minha sogra para, mais alguns instantes depois, ouvir Ulisses repetir o mantra enquanto olhava em volta, embasbacado. 

Kew Gardens é um jardim botânico, um dos mais completos do mundo, segundo informações do meu guia de viagem (que acabei de perder, chuif...), localizado próximo à margem sul do Tâmisa. Com cerca de 120 hectares de área, é um deslumbre para onde quer que você olhe. Não chegamos a percorrer nem metade dos jardins, mas caminhamos sem pressa, saboreando cada metro quadrado daquele cenário mágico. Nem por um momento tivemos dúvidas de que voltaremos lá outras vezes, provavelmente em maio, quando outras espécies de flores estarão a todo vapor. Recomendo com fervor.  

Para as crianças, foi uma delícia. Não há nada mais gostoso do que correr por entre as inúmeras árvores do parque, no meio de arbustos e canteiros de tirar o fôlego - menos o fôlego deles, obviamente. Eles curtiram todo o passeio e só demonstraram algum cansaço ao final das cerca de três horas e meia em que caminhamos sem pressa, curtindo imensamente o prazer de se estar em um lugar tão bonito. 

Estamos animadíssimos com a certeza de que voltaremos lá daqui a algumas semanas, dessa vez para um dia inteiro de deslumbre - há um jardim repleto de atividades para as crianças e hoje nem passamos perto dele. Mas eu já falei demais. Do jeito que dá, quero muito dividir com vocês parte do que conseguimos guardar em algumas fotos. Reparem que a beleza já invade nossos olhos no momento em que botamos os pés fora da estação do metrô. O jardim fica em um bairro charmosíssimo, com ruas lindamente arborizadas e com canteiros gracinhas enfeitando a fachada de cada uma das residências. Um passo, uma foto; às vezes duas. Mas nada supera a delícia da imensa, absoluta, soberana beleza do jardim botânico. Digam-me se exagero. 

A vizinhança:



O capricho dos moradores:








O primeiro jardim que visitamos, já dentro de Kew Gardens (Amanda e Arthur já correm lá pela meiuca):






Ah, as cerejeiras...






Arthur, em frente a uma das imensas estufas:




E dentro dela:












Flores? Pássaros?


Ah, se ele abrisse...


Olha!


Há um treetop walkway, uma passarela interligando o topo da copa de várias árvores. Quem tem perna sobe e, lá de cima, aprecia. Eis uma das fotos tiradas em nosso momento esquilo de ser:




Templo budista chinês (conhecido como pagoda), cuja construção foi concluída em 1762.

Pagoda, visto do Treetop Walkway



No jardim japonês:






:-)




Às vezes alguns galhos bastam (cedro).

Even sparrows
Freed from all fear of man
England in spring

      (Poema haiku, do poeta Kyoshi Takahama, gravado em uma pedra na entrada do jardim japonês, composto em 1936. Reza a lenda que Takahama estava sentado na mesma pedra quando compôs o poeminha.) Olha, até eu já estava com vontade de sair rimando por aí, então não duvido.

***

(O post sobre nossa primeira visita ao British Museum estava previsto para hoje, mas as múmias, por mais que me emocionem, foram vencidas pelo encantamento de Kew Gardens. E múmias estão acostumadas a esperar, né? Amanhã, então.)

6 comentários:

larissa disse...

Belíssimas as fotos!

Angela disse...

Beleza para tudo quanto eh lado! Adoro jardins botanicos...

Anônimo disse...

Oi!
Mesmo invisível estou sempre por aqui, mas sempre na correria e na muvuca que insiste em perseguir esta geminiana estudante atrapalhada.
Amei, ou melhor, estou amando essa viagem que vc está proporcionando a todos que acessam o seu blog.
Achei esse lugar maravilhoso!

Beijão pra todos

Marcia disse...

Que lugar mais lindo.
Assim voce vai acabar montando uma agencia de viagens...
Eu serei sua primeira cliente, com um tour personalizado por Londres...
Beijo.

Rita disse...

Oi, Larissa. O bom de Kew Gardens é que ninguém precisa ser bom fotógrafo pra fazer fotos bonitas. Os cartões postais estão lá, pra quem quiser. Bjs!

Anginha, é tão tão tão tão tão lindo, que não sei dizer. :-)

Rejaninha! Não é lindo mesmo? Na boa, guria, nunca vi nada igual. Há muitos parques bonitos por aqui, e por aí em Santa Catarina há paisagens de tirar o fôlego também, mas a beleza de Kew Gardes é um troço... claro que é tudo planejado e nada selvagem, mas não há como não se encantar. Lindo, mesmo. Beijão.

Marcinha! Não é uma lindeza? Em minha agência de viagens, todo mundo vai ser mandado pra lá! ;-P Beijão!

Claudia Serey Guerrero disse...

Lindo demais!!! e os dias lindos que vcs estao aproveitando né? ensolarados! beijinhos e aproveitem... vao cruzar o canal? :)

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }