Todo dia






Nossa casa é um templo cheio de rituais. Às vezes, não nos damos conta do exato momento em que eles são celebrados pela primeira vez. Em outros casos, percebemos de imediato que aquele gesto será incorporado à rotina e será repetido como um caminho seguro, um passo certo. Hoje, são pedacinhos bons de rotina que enfeitam nossos dias como se fossem chocolate granulado. Amanhã, sei que serão lembrancinhas bailarinas em nossas ideias, trazendo sorrisinhos silenciosos aos nossos lábios, como quando sorrimos sozinhos por causa de um pensamento bom que chega enquanto estamos no trânsito.

***

Celebremos nossas pequenas cerimônias:

Arthur e Amanda gostam de "escrever" cartinhas para nós enquanto estamos no trabalho. Com a ajuda da Tia Neia, desenham nossa família, suas mãozinhas, um sol, uma planta; então o Arthur escreve em letras grandes e errantes: "DE ARTHUR E AMANDA PARA PAPAI E MAMÃE", todos dobram o papel em quatro partes e colocam na caixinha do correio, no portão da frente. Todos os dias, no horário do almoço, assim que saímos do carro, Ulisses vai até a caixa do correio e, voilá! É certo que às vezes também há contas a pagar, mas as cartinhas são nossas correspondências oficiais.

*

Amanda gosta de servir a farofa na hora do almoço. Para todo mundo. Você pode se servir sozinho de feijão, arroz, carne, pegar sua salada. Mas a farofa quem põe no nosso prato é a Amanda. Aqui em casa é assim.

*

A hora de dormir, vocês já sabem, é o reinado das fábulas e historinhas. Recentemente, foi criado o ritual secundário da escolha do livro, porque Amanda já participa e também quer escolher, cheia de vontades e palpites para, em seguida, ignorar a história escolhida enquanto faz da cama um pula-pula.

*

A primeira escovada nos dentinhos da Amanda é na base do "eu sozinha, mamãe!". Segue-se uma boa comilança de pastinha sem flúor e depois, só depois, eu escovo de verdade. Sempre assim.

*

Não há pote de iogurte aberto em nossa casa que não tenha sua respectiva tampa lambida, como papai, preocupado com os bons modos, ensinou. Eles nunca mais esqueceram. Abrem, lambem a tampa, tomam o iogurte. Uma lindeza.

*

Gosto de pôr surpresinhas na lancheira do Arthur. 

*

No carro, a caminho da escola, Ulisses, Arthur e eu brincamos de adivinhar histórias. Recomendo:

Eu - Minha vez! Pronto, pensei.
Ulisses - Hum.. Tem animais?
Eu - Tem.
Arthur - Tem pessoas?
Eu - Não.
U.- Tem robô?
Eu - Não.
A. - Tem animais grandes?
Eu - Não.
U. - É de livro?
Eu - É
A. - É fábula?
Eu - É.
U. - Tem animais pequenos?
Eu - Tem.
U e A- Tem passarinho (sapo, lagarta, etc)
Eu - Não, não, não...
U. - Tem formiga?
Eu - Tem.
A. - Ahn! (respiração suspensa) Tem cigarra??
Eu - Tem...
A. - Já sei! A Cigarra e a Formiga!!
Eu - É!
A. - Pai, acertei!! YES!! Agora é minha vez...

Assim seja. 

3 comentários:

Luciane-Ctba disse...

Hehehehehe, lá em casa tem essa também do "escovar os dentes primeiro". A Lelê vem pedindo: "Vaco dente, mamãe". E ela tem que dar umas mordidas na escovinha antes da "escovada oficial", rsss. Bjos e um ótimo final de semana!!

Ada disse...

Rita, que delícia ler estes rituais!!! Quando tiver os meus, quero praticar gestos sublimes como estes... (suspiro)

Rita disse...

Lu, olha, estou torcendo para a Amanda voltar a pedir para escovar os dentes porque por esses dias ela inventou de fugir da escova. Quando desiste de resistir: "tá, mas pimero eu, mamãe"...

Ada, hehehe, às vezes baixa a corujice descontrolada, menina, ninguém me segura. Mas logo volto ao normal e fico só achando que eles são maravilhosos e fofinhos. ;-p

Beijocas!!!

Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }