"A pesca milagrosa"


"Então escrever é o modo de quem tem a palavra como isca: a palavra pescando o que não é palavra. Quando essa não palavra morde a isca, alguma coisa se escreveu. Uma vez que se pescou a entrelinha, podia-se com alívio jogar a palavra fora. Mas aí cessa a analogia: a não palavra, ao morder a isca, incorporou-a. O que salva então é ler 'distraidamente'."

Clarice Lispector, que sabia tudo.

0 comentários:

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }