Casal de um assunto só





Faz dias que nossas conversas giram em torno de passagens de volta, traslado do aeroporto, pendências bancárias, correspondências encalhadas. Há um par de malas esperando pelo momento em que vou abri-las e recheá-las com nossas expectativas. Meu filho de quatro-quase-cinco anos já fala em termos de "quando eu chegar de Londres" isso, "antes de ir pra Inglaterra" aquilo. Somente minha filha de dois anos e meio segue sua rotina serelepe sem se dar ao trabalho de projetar muita coisa. 

Meu marido e eu nos sentimos como quem vai estar de férias em breve e acho melhor amarrar uma fita no dedo para não esquecermos que temos um curso a fazer por lá, porque até aqui ninguém falou em colocar papel e lápis na bagagem. "É para estudar, é para estudar", preciso repetir.

As listinhas vão surgindo na minha cabeça: os remédios que as crianças podem precisar; os calçados que preciso comprar (os sapatinhos do inverno passado vão aquecer outros pezinhos neste ano porque não cabem mais nos que pisam por essas bandas); as chaves que preciso copiar para as pessoas que tomarão conta de nossa casa em nossa ausência; a papelada da imigração. E tudo vai se organizando. Ou quase tudo.

Porque há algumas coisinhas que quero desorganizar bem: a rotina de sair de casa para trabalhar sem nossos filhotes; a correria na hora do almoço para não atrasar a chegada à escola; a correria no final da tarde para não deixar o Arthur esperando muito na saída da escola; o acorda/banho/engole/tchau de cada manhã; as segundas-feiras todas iguais. Só por oito semanas, não.

Não é que a vida esteja ruim, longe, bem longe disso. Mas abril e maio serão uma ilha de pessoas que se adoram grudadinhas o tempo todo, tomando decisões importantes como ir ao parque ou ao museu, cercadas de nada obrigatório para fazer por todos os lados. E esse será todo o stress que teremos.  

Estou sabendo da briga pelos royalties e da greve dos professores de São Paulo, mas vocês perdoam a falta de assunto?


***

Na verdade, na verdade, a gente também fala de Lost um pouquinho. Se a gente vai assistir quando estiver em ... deixa pra lá.


5 comentários:

Marcia disse...

Adorei a foto da família!
Só não entendi porque o "papai" saiu loiro. Foi o último verão que deu este efeito ou ele andou fazendo luzes?
kkkkkkkkkkk
Perco a amiga mas não perco a piada.
Beijo, te adoro!

;-)

sobrefatalismos disse...

Ah, mas essas pendências antes das férias costumam sair dessa forma mesmo e quase tudo se embaralha...
Gostei muito daqui do teu canto. E voltarei.
Abraços.

Rita disse...

Oi, Marcia! Não ficamos lindos? Gostei bem. :-P

Sobrefatalismos, obrigada pela visita, volte sim, venha sempre. Gostei do seu blog também.

Beijos, pessoas.

Vivien Morgato : disse...

Estou ansiosa pelos posts que virão! Bacana.

Rita disse...

Oi, Vivien!

Em breve, querida! Beijos!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }