Bloco dos sem-bloco


Tão boa quanto a morangorosca, essa tem ingredientes não revelados.
Barman que se preza, já viu, né... cheio dos segredos.

Não caímos na folia propriamente dita, mas mesmo assim nossa segunda-feira de carnaval passou longe de ser um dia tranquilo, dedicado a leituras e sonecas. Também não foi um feriado esplendoroso de sol e céu azul, mas isso não nos impediu de passar o dia ao ar livre, curtinho o pouco de sol que as nuvens nos permitiram, dando bons e merecidos mergulhos (ou, para ser mais sincera, bons e desengonçados saltos "ornamentais"), entupindo nossas veias de gordura, também conhecida como churrasco, e liberando a criançada de horários e regrinhas. Tudo ficou no seu devido lugar, ou seja, mulheres e crianças na piscina, homens na cozinha. Esquecemos os relógios e, se o telefone tocou, ninguém ouviu.

No quesito churrasco, particularmente, devo dizer que curto o ritual que reúne amigos, mas dispenso a comilança de carne. Não consigo comer tanto daquilo e churrasco que é churrasco, para mim, tem de ter muita salada. E dia de verão de verdade tem de ter chuvarada no final da tarde e nesse quesito Floripa não costuma falhar. No problem, hora de comer mais. Nada como uma massinha para fechar o dia e abrir espaço para mais sobremesas, nham! (afinal, a gente veio aqui pra comer ou pra conversar, né?)

Eu poderia dizer sem muita modéstia que o ponto alto do dia ficou por conta do meu elogiadíssimo bolo de chocolate, mas isso não seria justo com o nosso "barman" que fez lindezas como a da foto aí em cima (num tô falando que os homens estavam no lugar certo!). Então fica registrado que ontem tomei a melhor morangorosca do planeta. Na boa, gente, do céu.

Ao meu gatinho que conduziu a churrasqueira, parabéns, eu não saberia nem por onde começar. Às crianças que se comportaram brilhantemente, nadaram lindamente, comeram mais ou menosmente e baguçaram devidamente, parabéns também. E aos amigos que alegraram nossa casa sem precisar de confete e serpentina, agradecemos a companhia, os mergulhos, as biritas, as moscas eletrocutadas, os presentes, as risadas, o jogo de cartas, as sobremesas repetidas, o cafezinho na cozinha, a paciência com o cachorro surtado por causa da chuva, a soneca no sofá, o pilequinho mais classudo que já vi na vida e, principalmente, a promessa de que tudo se repetirá. Tenho dito.

4 comentários:

Angela disse...

Hhhum que delicia de segunda! A morangosca tava linda. Imagino o sabor... Ai e o churrasco do maridao ninguem segura. Inesquecivel, Pete aqui concorda...
Aqui foi feriado, e depois de uma tempestade nas nossas vidas (depois te ligo) fez um dia lindo de sol sem uma nuvem, a temperatura subiu para zero e nao tinha um pingo de vento. Entao corremos para as ladeiras com os sleds. Max desceu cada ladeirona, e Julia so descia a partir do ultimo terco da ladeira pois ainda eh bebe. Passamos quase duas horas nessa brincadeira, ai bateu fome na Ju (sai de baixo!) e tivemos que ir embora. Eles adoraram, eu e Pete tambem. Tomara que quando voces vierem aqui faca um dia de sol desses. Vao amar! E nos tambem.

Rita disse...

OI, Anginha! Liga logo, pretty please. Ou melhor, vou te ligar. Bem, a gente se acha. bjs!

Rita

IsabelaRosa disse...

Amei Rita, Você e o Ulysses, como sempre, anfitriões insuperáveis. Foram momentos muito agradáveis juntos. Que se repitam sempre, agora aqui em casa, porque bagunçar só a sua não vale!!!! Beijos!

Rita disse...

Ei, Isabela, não sei se você está sabendo, mas a Helena já acertou tudo com o Arthur, hehe. Vai ser na sua casa, sim. ;-)

Beijocas!
Rita

p.s. A bagunça não incomoda nem um pouco. A farra dos pequenos não tem preço. E, além do mais, eles adoram penne carbonara.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }