Até já

Nunca é fácil me despedir de minha mãe. É o pedacinho angustiante das férias. Parto quebrada, com saudades, incompleta.

Não nos separamos nunca, eu sei, do mesmo modo que jamais me separarei de Amanda, não importa quantos quilômetros existam entre nós. Mas isso não impede o aperto no coração.

Foi maravilhoso entrar 2010 ao seu lado, mãe. Foi, de longe, o melhor presságio para os meses que virão. Te amo. E não se engane: você está linda, como sempre. Sua luz vem de dentro e avança longe...

Até já.

2 comentários:

dannah5 disse...

Ah Rita, ce me lembrou das despedidas da minha saudosa e amada vó, ela sempre chorava do lado do meu avó enquanto iamos embora de carro, ficava ela chorando lá e a gente no carro aos prantos tbm com o coração apertadinho sabendo que só no proximo ano.

Aproveita bastante, o tempinho da gente nesse mundo as vezes passa tao rapido que eh bom sempre beijar e abraçar todo mundo que temos vontade.

Beijocas pra vc e pra sua mamae tbm!

Rita disse...

Thanks, dear...

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }