O sorriso de Odisseus - o fim de uma era




 
 
2009 já estava com pinta de ser um ano em que coisas antes tidas como improváveis, para dizer o mínimo, acontecem - viramos sede de Olimpíadas (bacana), o Brasil se tornou credor do FMI (pôxa!), um negro assumiu a presidência dos Estados Unidos (clap, clap, clap!) e por aí vai. Mas somente hoje se deu o acontecimento que carimbou de vez o passaporte de 2009 para o rol dos inesquecíveis: Ulisses, meu digníssimo marido, tirou o aparelho dos dentes! (Uuuuooohhhhhhh!!! - aquele barulho que a torcida faz em lances incríveis.)
 
Ainda lembro da primeira vez que o vi com os ferrinhos na boca. O ano era 1527, o Brasil tinha acabado de ser descoberto e eu já era apaixonada por ele. Lembro que fiquei um pouco intrigada com aqueles ferrinhos porque o que ele queria "corrigir" era invisível para mim. Eu o achava na medida... óóóó, sweet.
 
Pois bem, os séculos passaram, o mundo girou muito, muito, muito. Aí girou mais ainda. Nós nos reencontramos (ufa, quando penso no tamanho do mundo e que a gente poderia nunca mais ter se achado, ai) e ele continuava com o sorriso metálico. Fiquei então sabendo que aquela era a 78º fase do tratamento que àquelas alturas era conduzido pelo 16º ortodontista. Eu honestamente desconfio que ele virou uma espécie de cobaia de novas tendências da ortodontia pós-colonial, mas não vamos contar isso para ele, tá? Faz de conta que o tratamento estava no rumo certo.
 
Ocorre que tanto tempo de aparelho transformou Ulisses numa pessoa... de aparelho. Não alguém que estava de aparelho, mas alguém que era de aparelho, compreendem? Eu nem achava mais que aquilo era alguma coisa que sairia dele um dia.
 
Mas hoje saiu. Só a parte de cima, é verdade, mas não importa. Era improvável, mas aconteceu. E estou felicíssima por ele. Eu já usei a geringonça ortodóntica e lembro bem das dores e do incômodo que nos atormentam após cada visita para 'ajustes". E presenciei muitas dessas indesejáveis situações enfrentadas com louvor por Ulisses ao longo desses mil anos. Há muito para comemorar hoje (e não só hoje, vou logo avisando que esta semana tem mais - aguardem) e ele já começou: mastigou o jantar na maior alegria, mostrando os dentes sujos de pão, um amor. Eu vou fazer minha parte e tentar falar umas coisas engraçadas para dar a ele motivos para um sorriso largo e orgulhoso. Ele merece.
 
Parabéns, meu gatinho. Well done!
 
________________________________
 
Bom, e aí hoje vi num blog legal uma listinha de pequenas coisas surpreendentemente prazerosas e imediatamente pensei que elas dariam bons motivos para sorrisos. O que segue abaixo é apenas uma parte do último post do blog Hello, Lolla. Tem muito mais por lá - recomendo a visita, seja para ler, seja para se deslumbrar com ótimas fotos. Quer sorrir, meu amor? Pense nisso:
 
"- O momento em que você acorda e percebe que aquela situação horrível era apenas sonho.
- Voltar a dormir na sua própria cama depois de uma viagem longa.
---
- Tirar todo o catchup ou mostarda grudados em volta do bico.
- Quando você compra um aparelho na loja e descobre que ele vem com pilhas incluídas.
- As primeiras duas horas de uma longa viagem de carro.
- Puxar aquele filme plástico que protege aparelhos eletrônicos.
---
- Entrar no cinema com doces/pipocas mais baratas escondidos na bolsa.
- Quando a pessoa coçando suas costas encontra a parte que realmente coça.
- Ouvir sua nova música favorita, várias vezes.
- O momento em que a plateia percebe qual música a banda está começando a tocar.
---
- Os segundos finais do processo de desatar um nó bem grande (essa também vale no sentido figurativo).
---
- Rir tanto a ponto de não fazer nenhum som.
- Quando você abre a porta de um banheiro público esperando o pior e o encontra limpíssimo.
- Quando você chega no ponto de ônibus e o ônibus chega também, cinco segundos depois."
 
Minha contribuição para a lista:
 
- Quando você passa a língua nos dentes e percebe que tirou o aparelho.
 

3 comentários:

Angela disse...

Parabens menino!!! Ainda hoje lembro perfeitamente o dia em que tirei o meu, muito gostoso, e olha que eu so usei por dois anos. Era mes de junho e foi comer milho assado.

Rita, eu nao lembrava que ele ja usava aparelho na primeira rodada...
Bons beijos!!!!

monquinha disse...

Realmente nao lembro de Ulisses sem aparelho. Noa tenho tal iamgem na minha mente. Que bom que ele se livrou. Tem coisinha mais chata. O pior que quando li o post me lembrei que tenho que coloca-lo novamente. Ai! Nao tenho mais alma para esse terror. Eu estava feliz e nao sabia.....hahahahahahah. Beijo.

Nakereba disse...

De fato é para comemorar! Amanhã, verei então um sorriso menos metálico?
Sobre a listinha, a minha contribuição:
Fazer uma criança de 11 anos, em recuperação escolar, ter uma crise de risos enquanto você tenta explicar para ela "análise morfológica" (O ensino de AM deveria ser proibido para menores de 16 anos!). Você pergunta do que ela tanto ri e ela responde: "Da sua risada". Professor e aluno têm uma crise de riso. Em seguida, ela passa a fazer AM de tudo o que você diz, inclusive os elogios: "Muito bem!" Não tem preço!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }