Dan Brown superstar e o sucesso antecipado de Lost Symbol


Se eu levar em conta que seguir fórmulas com maestria não deixa de ser uma arte, sou forçada a admitir que Dan Brown é um fenômeno. A fórmula dos best sellers está aí para quem quiser segui-la, mas não é todo mundo que consegue revesti-la com doses generosas de criatividade e ousadia. E apesar de não ser preciso ser gênio ou crítico renomado para enxergar a superficialidade da linguagem na escrita de Brown, o fato de sua obra não se adequar aos critérios de canonização das Academias não chega a neutralizar seus méritos.

Então você pode gostar ou não, mas é difícil não reconhecer a vocação para superstar do autor de O Código Da Vinci. E, seis anos depois, Lost Symbol vem aí. O lançamento longamente esperado e cercado de especulações deve acontecer em um cenário raro no mercado literário mundial. Já abundam na rede (aqui, por exemplo) informações que afirmam que Lost Symbol já entrou para a história como um dos livros mais vendidos do Amazon – antes mesmo de ser lançado. A lista de espera chega à casa das dezenas de milhares e não é exclusividade do Amazon. Lost Symbol já é número um também nas vendas (digo, na lista de espera) da maior rede mundial de livrarias, a mega queridinha Barnes & Noble.


Era de se esperar que depois do estrondoso sucesso de O Código Da Vinci, qualquer bula de remédio publicada por Brown tivesse boa aceitação no mercado, mas o marketing de Lost Symbol vai além do nome de Brown na capa. Os envolvidos na edição do livro sabem bem que pitadas de mistério em torno do lançamento sempre aguçam a curiosidade e catalisam vendas de forma bem eficaz, então a receita foi seguida direitinho: muito pouco foi dito sobre o enredo, muito se especulou e, uma vez anunciada a data de lançamento, estava dada a partida para os joguinhos de adivinhação.

E se você estiver na fila dos curiosos, ainda dá tempo de começar a brincar de “o que é o que é” antes do lançamento, na próxima terça-feira, 15/09/09. Comece já: o que você sabe sobre o número 33? A soma de 15+9+9 parece ter papel significativo na trama de Lost Symbol. Pelo menos esta é a dica deixada no Symbol Quest proposto no site do autor. Para conferir, brincar de adivinhar significados de símbolos esquisitos e descobrir quais suas chances de ganhar uma das 33 cópias autografadas de Lost Symbol (vai que você é fã mesmo), entre aqui e divirta-se (ou irrite-se, dependendo de quantas vezes você errar).

Depois é só esperar mais um pouquinho, seja pro bem ou pro mal. Porque uma coisa é certa: o livro pode ser fraco, mediano ou até superar o ousado enredo de Da Vinci, mas todo mundo vai falar dele. E você? Vai ler?

p.s. Se você for brincar de Symbol Quest, perder a paciência, e quiser alguma dica, é só dar um toque, combinado?

4 comentários:

Anônimo disse...

Eu geralmente não gosto daquilo que é febre, não gosto de modismo, quando todo mundo usa vermelho, eu uso preto,... Assim, a única coisa que sei do livro O Código Da Vinci, é que se chama Código Da Vinci, com o artigo é Rita? O. Lembro, tooodo mundo lia esse livro, todo mundo so falava nesse livro, isso espanta a minha curiosidade, o livro poderia até ser bom, mas por ter virado moda não tive o menor interesse, pensei "talvez no futuro, quando a febre passar..." ainda não veio a vontade... a única coisa que sei do livro, é o que vi no trailer do filme, serve? Pensei até em assistir ao filme, "ah, já que não tenho vontade em desfrutar meu preciso tempo, horas e horas lendo esse livro, deixa eu então assistir ao filme, assim serão apenas duas horas..." mas sempre que ia ao cinema achava outro filme mais interessante e deixava para depois, e olha que antes eu ia em média 1 a 2 vezes por semana ao cinema. E se foi em 2006, ano que morei em Brasília, eu ia até 3 vezes por semana, estava morando em um hotel, de frente para um shopping... Como é mesmo o nome do novo livro Rita? Lost Symbol? Prazer!
Ótima semana!
beijos,
Ju

Rita disse...

Oi, Ju. Compartilho contigo da fuga das febres. Comigo a "vítima" foi O Senhor dos Anéis... até hoje. O Codigo da Vinci mofou por semanas em minha cabeceira até ser lido. Mas acabei sucumbindo e até que me diverti. Agora, se é pra falar sério e levar em conta o que existe de bom para ser lido, aí, de fato, Dan Brown vai lá pro fim da fila. Mas não é sempre que queremos levar as coisas a sério, não é verdade? E se é para falar de lançamentos, Isabel Allende tá na área com mais um. Falarei disso depois.
Bjs!

Anônimo disse...

Olá leitoras, eu tenho uma recomendação: a trilogia Millenium, do sueco Stieg Larson, que começa pelo livro chamado "Os Homens que não Amavam as Mulheres". hhehe está lá entre os muito bem vendidos! Suspense fantástico! Particularmente gostei mais do segundo livro, "A Menina que Brincava com Fogo", esse foi capaz de me segurar na leitura por mais de seis horas seguidas em um fim de semana de ócio.
Hoje recebi o último da sequência, comprado em "pré-venda", tive que esperar um mês pelo lançamento! Acho até que vou ficar triste quando acabar de ler... como se perdesse um bom amigo, como aconteceu quando acabei de ler "O Senhor dos Anéis", foram meses para acabar aquela "bíblia" (ehehe, adooooro Tolkien, li tudo que achei publicado dele, hoje em dia posso até me considerar uma especialista na mitologia tolkeniana, não a ponto de me vestir de elfo ou robbit ou nomear algum filho de Yluwatar, mas adooooro e recomendo para fugir um pouco da realidade).
Quanto ao "Código", relutei contra a fama tb, mas li e não me arrependi. Já o filme não faz jus ao livro...
Assisti "Anjos e Demônios" e achei muito legal, será que o livro consegue ser melhor?
Bjk
Sara

Rita disse...

Sara,

anotadíssima sua recomendação. Entrou na fila: estou lendo "Toda Casa Precisa de Varanda", de Rina Frank. Assim que acabar, compartilho minhas impressões com vocês. Quanto a Tolkien, não sei se sairei deste mundo sem passear por suas páginas, já que meu digníssimo esposo é fã no mesmo nível que você. Leu tudo, assistiu tudo, conhece os diálogos dos filmes by heart... eu sigo uma ignorante no assunto, mas sem muita resistência. No auge da febre, confesso que cheguei a ficar enjoada das conversas sobre o magnífico. Mas quem sabe não me aventuro qualquer dia desses? Nossa edição está aqui me olhando, toda "pidona". :-)
Anjos e Demônios: quando você não tiver nada melhor para ler, confira os absurdos que o filme nem tentou retratar sob pena de ser vaiado, acho. Há passagens hilárias... mas vale como diversão à custa de poucos neurônios. E tem Roma, tá valendo.

Obrigada por passear por aqui, volte sempre. Quando vier a Floripa, coloque "Os Homens que não Amavam..." na bagagem, ok?

Fãs de Dan Brown: o primeiro capítulo de "Lost Symbol" está no site do autor. Li e fiquei com sono. :-)

Bjs!!
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }