Dia azul

Quando eu era bem pequena, naquela fase em que as meninas são bem apaixonadas pela mãe, às vezes me perguntava como seria quando minha mãe já fosse mais velha, e eu uma adulta cheia de afazeres. Eram divagações passageiras, mas cheias de imaginação. Às vezes eu me perguntava se meu cabelo também seria branco (minha mãe é grisalha desde que eu me conheço por gente), se eu ainda teria de pedir permissão para ir à casa da minha melhor amiga ou para assistir a novela das oito.

Meu cabelo ainda não ficou (todo) grisalho, eu não gosto da novela das oito e quando quero ir à casa das amigas, normalmente, peço permissão a elas mesmas. Mas uma coisa não mudou. Eu continuo apaixonada pela minha mãe. E acho uma pena não poder abraçá-la no dia de seu aniversário. Mas isso não chega a ser exatamente uma lamentação, porque nos abraçamos constantemente em pensamento, cada vez que nos preocupamos uma com a outra, cada vez que telefonamos mesmo que seja para perguntar se está chovendo, cada vez que falamos uma da outra com alguém.

E o bom é que ainda podemos continuar inventando novas formas de abraçar. Como agora, mãe, que te dou este abraço internauta, cheio de alegria pela idade linda que completas hoje. Que seu dia seja azul, como esta estrada, como seus olhos lindos. Receba todos nossos pensamentos de amor no seu dia e saiba que hoje, para nós, é dia de festa.

Feliz aniversário,
Rita, Ulisses, Arthur e Amanda

4 comentários:

Anônimo disse...

Rita, que linda mensagem... Beijos, Carol

larissa disse...

Você fez sua mãe chorar e eu também!

Anônimo disse...

Linda mensagem!
Um abraço.
Nilma.

Anônimo disse...

Me fez chorar também! Parabens manzona da Rita (pode colocar o nome não né?) faz muito tempo que não nos encontramos, estou com saudades. Quando eu for a Paraíba quero levar minha filha pra senhora conhecer. Certo? Beijos!
Rita, você escreve muito bem. Parabéns!
Beijos,
Ju

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }