Ninhos


Lembro que li em algum lugar que o joão-de-barro não usa o mesmo ninho no ano seguinte. Não é uma pena? Uma construção tão valiosa...

Eu gosto de ver que meus filhos reconhecem nosso lar como o ninho deles, um ninho que eles ajudam a montar com seus galhinhos atravessados e tantas vezes bem desarrumados. Mas também gosto de pensar que eles serão capazes de montar outros ninhos por aí, à medida que seus vôos ficarem mais ousados, mais desgarrados. É que é bom ter mais de um ninho... ah... será que é por isso, joão-de-barro?!
E aí de vez em quando volto ao meu antigo abrigo. Às vezes arrumo um ou outro galhinho, empurro uma palhinha pra lá, às vezes desarrumo bem. Mas sempre me aconchego porque lá estão asas que se abrem generosas para me acolher.

Mãe, estou indo te ver.


p.s. 1 Essa estrada ficará um pouco silenciosa nos próximos dias porque estarei distante de computadores, laptops, palmtops e até dos tiptops. Mas voltarei cheia de saudades na próxima semana. Aos que passarem por aqui, boa caminhada (e podem fazer um barulhinho, se quiserem).
p.s. 2 Rê, feliz aniversário!

1 comentários:

Nina disse...

Oi, Querida,
Obrigada pela lembrança. adorei a parte do "laptops... tiptops - rssssssss
Saudades de vc!
Beijos

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }