“I just happen to be here and it’s okay”

Fui ver Jean Charles e fiquei emburrada.

Saí do cinema com a sensação de que não vi tudo o que queria. Acho que eu esperava ver algo mais sobre o “lado de lá” da história, que o filme fosse um pouco além da rotina do brasileiro assassinado no metrô de Londres, confundido com um terrorista. Mas isso é problema meu, porque não vi nenhuma propaganda enganosa anunciando que o filme seria um documentário com cunho jornalístico e pretensões investigativas. Ainda assim, eu achava que ia “aprender” alguma coisa que a imprensa ainda não tinha mostrado.

Seja como for, e apesar de algumas atuações bem rasinhas por parte de alguns atores (olha, até parece que eu entendo da coisa, tsc, tsc), vale pela homenagem. E vale pelo retrato da Londres invadida – linda, maluca, sedutora, absurda, misturada. E o Selton Melo tá lá, yes Sir.

E a gente fica pensando naqueles que encaram a condição de clandestinos condenados ao subemprego – e toda espécie de preconceito – como uma opção melhor do que viver em nosso país. Tem alguma coisa errada, não tem não? Com o país, não com eles. Ah, e com alguns deles, certamente. Bom, whatever, fiquei emburrada.

0 comentários:

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }