Frescurinhas que agradam

Tá bom, tá bom, seus esfomeados. Vocês querem falar de comida, não é? Então tá, eu também quero.

Para desemburrar, tomei três atalhos: trabalhei bastante, nadei bastante e comi bastante. Funcionou. Aí, com bom astral, catei o Todas as Técnicas Culinárias, do Le Cordon Bleu (lembram daquele livro que o Submarino nunca entregava?) - v. "As cores dos retalhos", lá nos primeiros quilômetros. Pois bem. Agora, marquem a alternativa correta:

- Eu conheço esse livro porque:

a) Vi no blog da Marcinha
b) O Jamie Oliver me ligou e me falou dele
c) Eu escrevi o livro

Muito bem. Mais uma do blog da Marcinha (http://www.marcinha.co.uk/). Então li pra cá, olhei figurinhas pra lá, e optei por algo bem simples porque trabalhar, nadar e comer bastante dão muito sono e a noite já estava bem adiantada. Fiz um pão-de-ló basiquinho e usei ganache (para pronunciar da forma mais fresca possível, por favor) para recheio e cobertura.

O pão-de-ló é levíssimo, combina bem com recheios cremosos e é facílimo de fazer:

4 ovos
125g de açúcar refinado
125g de farinha de trigo
1 pitada de sal

Antes de preparar a massa, unte a forma com manteiga derretida e farinha de trigo. Em seguida, forre-a com papel manteiga.

Bata os ovos até quebrá-los bem e adicione o açúcar. A receita fala em açúcar refinado, mas hoje usei açúcar cristal e deu tudo certo também. A dica do livro é bater os ovos com o açúcar sobre uma panela com água bem quente até que você perceba uma consistência que te permita desenhar um "8" ao erguer o batedor e deixar escorrer o creme. A partir desse ponto, bate-se por mais 5 minutos até o creme ficar bem firme. É hora de deixar de lado a água quente e acrescentar a farinha de trigo peneirada, mexendo suavemente com uma espátula. Acrescente o sal e despeje na forma com delicadeza. Asse a 170ºC, por 25 minutos. Deixe esfriar por 5 minutos, retire da forma, vire sobre uma grelha e retire o papel manteiga.


Bom, daí eu dividi o bolo em dois e espalhei o ganache (frescura, por favor!), que nada mais é do que chocolate derretido com creme de leite pré-aquecido. Pleeeease, usem chocolate amargo e me agradeçam depois. :-) É preciso misturar bem, de preferência cantando "ebonyyyy and ivoryyyy", para o ganache ficar beeeem lindo e brilhante.

Joguei raspas de chocolate amargo em cima, tudo em nome da frescura.
Simples, delicioso. E gera altos elogios por parte do(a) respectivo(a), podem apostar.


Eu tava emburrada por quê mesmo?
_______

Em tempo: vocês viram que a Ju fez o creme de aipim lá na Bahia? Viu, Rejane?
Em tempo 2: Gente, a Ju cobrou algo de suma importância - a quantidade de chocolate amargo e creme de leite para o ganache. Foi mal, foi mal. Então vamos lá: 300g de chocolate amargo derretido (quebre o chocolate e derreta em banho-maria; a água tem de estar bem quente, mas sem ferver!). Derreteu? Desligue o fogo. Em seguida, aqueça 1 caixinha de creme de leite em fogo baixo, por cinco minutos; desligue o fogo de novo, Ju, e junte os dois. Mexa até que formem um mistura homogênea e então bata vigorosamente por cerca de cinco minutos (é a hora de cantar). Beleza? Muuuito obrigada pelo toque, amiga.

2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei das unhas impecaveis da chef e da musica, alem do visual do manjar dos deuses que voce estava fazendo. Chocolate amargo, hum...
Beijo,
Marcia (a outra)

Anônimo disse...

Rita, o complicado desse é essa história "... bater ovos com o açúcar sobre uma panela com água bem quente..." e ainda tem que desenhar um "8"!? Meu Deus!
Sim, e para esse frescurache, quer dizer ganache, qual a quantidade de chocolate amargo e creme de leite? Isso é importantíssimo!!
Ah, outra dúvida, para acrescentar o creme de leite ja desliguei o fogo do chocolate?
beijos,
Ju

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }