As cores dos retalhos

Alguns esclarecimentos (não sei bem pra quem, porque essa estrada anda quase deserta, mas vai que aparece mais alguma alma caridosa por aqui além da minha única leitora até agora – valeu, amiga!!): esse blog NÃO é temático. O fato de que o post aí embaixo trata das minhas neuras em relação às fraldas da minha pequena não significa que pretendo tornar A Estrada Anil uma filial do Greenpeace. Não. O que quero mesmo é escrever sobre QUALQUER coisa que me der na telha. Quero crer que, na maioria das vezes, passearei por temas relacionados às coisas que gosto, como música (sim, sim, mais uma com saudade dos anos 80, o que é que eu posso fazer?), cinema, livros, culinária (ahahaha, imagino a cara de quem já me conhece há tempos, mas ainda não sabe do meu novo hobby...), vida em família, bobagens em geral e o que mais vier. O bom de um blog é que você não precisa ser especialista pra meter o bedelho onde quer que seja, né? eheheh, oba, é comigo mesmo. A comparação é pra lá de clichê, mas isso aqui é uma colcha de retalhos mesmo. A estrada é anil, mas os retalhos são multicoloridos (e qualquer dia eu explico porque a estrada é anil, afinal).

Então agora quero falar que o Submarino não entregou o livro que eu pedi. Até aí eu ainda estava calma. Eu já havia tentado rastrear o pedido lá no site, já que consta lá que você consegue, mas tudo que consegui visualizar foi uma mensagem de “pedido não encontrado”, ou coisa parecida. Resolvi tentar o atendimento online para saber o que tinha ocorrido: espera, espera, espera, “você é o 54º na fila”... espera, espera, espera, “você é o 33º na fila”... espera, espera, espera... desisto. Já sei! Vou mandar um e-mail! Mandei. Uma, duas, três mensagens e nenhuma resposta além do irritante reply automático... oh, well... vou apelar pro telefone... 4003-alguma coisa, custo de ligação local: espera, espera, espera (enquanto você espera, ouve tudo sobre as maravilhas do atendimento ao cliente do submarino!), espera, espera... desisto. Vou tentar de novo o atendimento online: consegui! Depois de “analisar” meu caso, a atendente me pede para... esperar (!) mais um dia útil; o problema é que eu já espero o prazo de um dia útil há três dias(???), quando mandei o primeiro e-mail... Ah, não, pensei, vou entrar com contato com o Ombudsman! Volto ao site e eis que descubro que o link para o Ombudsman, na verdade, não é um link, é só uma palavra morta no site! Não leva a lugar nenhum. O que é isso, Submarino?

Sigo no aguardo.

1 comentários:

larissa disse...

Sugestão: até que ela me decepcione também eu prefiro a Saraiva.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }